segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Coisas da vida


Meu fusca e eu 
15 de janeiro de 2019

Ainda me lembro do ano 1998, quando eu possuía um fusca modelo 82 em cor bege. Nessa época eu saía de casa muito cedo para ir trabalhar. No caminho de casa até a empresa, a natureza me presenteava com a sua exuberância.

A distância aproximada da minha casa até o meu local de trabalho era de uns treze quilômetros. Me lembro com prazer, como se fosse hoje! Eu me arrumava, ia para a garagem abria a porta e entrava no meu “fusquinha” bege; ligava o carro e saía.

Quem já teve um fusca, ou teve a oportunidade de andar com esse carro lendário, já sabe que o som do motor é inesquecível, inconfundível, na verdade, quase uma orquestra.

Ao sair da garagem dirigindo o meu fusca, eu me sentia feliz, pois eu podia naquela época dirigir o meu carro, quitado! Sem dívidas, era só colocar gasolina e rodar. E eu tinha apenas dezenove anos.

No caminho eu seguia dirigindo por uma bela orla marítima que segue do bairro coqueiros até a ponte que dá acesso a entrada da cidade de Florianópolis. Essa era a minha rota de segunda à sexta.

Dirigindo em direção ao centro da cidade, eu precisava atravessar a ponte que dá acesso a “ilha da magia”, como é conhecida por aqui.

De dentro do carro, no meio da travessia na ponte eu podia contemplar o nascer do sol lá no horizonte por trás da montanha. Uma visão esplendorosa!

Como aqui na região de Florianópolis faz muito calor no verão, com temperaturas que beiram os quarenta graus, eu abria aquela janelinha pequena que tem na porta, conhecida como “quebra vento” por onde entrava uma brisa agradável e refrescante que vinha do mar. Para mim, era o meu “ar-condicionado” da época.

Ao sair da ponte Pedro Ivo Campos, eu fazia um contorno para pegar a famosa avenida beira mar norte, nesse momento eu estava há uns oito quilômetros de distância do meu trabalho.

A avenida beira-mar é muito extensa, e por isso tem muitos semáforos, assim sendo eu precisava fazer diversas paradas, mas confesso, como era bom parar e olhar para o lado e ver uma linda baía com um mar azul reluzente.

Era encantador, era poder viver, era a chance que eu tinha para admirar as coisas simples da vida!

Era um tempo que não existia smartphone. Celular pelo que me lembro, eram só os analógicos, aqueles que só apareciam os números na tela, e por isso eu não tinha tempo para ficar olhando redes sociais quando parava nos semáforos, aliás, não existiam redes sociais, se não me falha a memória só existia o ICQ, um tipo de messenger, porém bem limitado e que só funcionava em computadores.

Não haviam celulares com super telas, com wi-fi, com sistemas para navegação na internet. O que me restava a fazer era contemplar a natureza. Época boa, não que hoje não seja bom, embora algumas vezes os valores para uma qualidade de vida estejam invertidos.

Eu já estava quase chegando no trabalho, eu entrava às sete horas da manhã, e como de costume chegava sempre uns dez minutos antes, vale ressaltar também que, era uma época onde cumprir horário era fundamental para poder se manter em um emprego.

Cheguei na empresa!

Estacionei o carro, fechei aquela janelinha (quebra vento), fechei o vidro manualmente, tirei o cinto, abri a porta, e saí do carro. Coloquei a chave na maçaneta, virei a chave e fechei o carro, pronto! Não tinha um botão para acionar o alarme, um botão para fechar os vidros, um botão para fechar o carro.

Era apenas 1998.

E hoje? Faz muito tempo que eu não sinto essa sensação refrescante, do vento passando pelo rosto, do tempo para contemplar o mar! Porque o celular está conectado, os vidros estão fechados e o ar-condicionado ligado!

Bons pensamentos a todos e até a próxima.

Um grande abraço,
Fernando Lapolli
Pensar bem faz bem!

Comentários:
Responderei os comentários em breve,
será um enorme prazer.
 +124   Quero comentar  



Mais Coisas da Vida:
Em breve novos textos.

sábado, 8 de dezembro de 2018

O poder da motivação


Para superar precisamos antes passar pelos obstáculos que surgem na vida da gente!

Com a lamentação deixamos de prosseguir e continuamos inertes, ou seja, lamentando ao invés de agir. Lamentar não motiva, muito pelo contrário corrói ainda mais as energias que possuímos.

Abaixo fiz uma ilustração que nos faz refletir sobre as lamentações:



E o que fazer para não lamentar?

Acredito eu que o primeiro passo deve ser o ato de reconhecer que estou lamentando. Digo isso porque já passei por muitas situações em minha vida em que me vi lamentando e eu não percebia isso. Então, perceber que estamos lamentando é o primeiro passo.

Como perceber que estamos lamentando?

É possível perceber a lamentação quando ficamos parados apenas reclamando ao invés de fazer algo para mudar. Embora lamentar pareça que irá resolver os problemas, mas não irá.

Um exemplo prático é quando estamos diante de uma perda. Em alguns casos as pessoas não percebem que estão em profunda lamentação e acabam ficando doentes contraindo uma depressão entre outras doenças.

Sabemos que perder não é bom, ainda mais quando perdemos um ente querido, no início parece que o mundo acabou, mas com o tempo vamos compreendendo que a vida continua.

Numa linguagem popular, podemos dizer que lamentar é quase o mesmo que ficar remoendo, parado, sem o desejo de mudar.

As lamentações consomem a nossa energia de viver. Manter-se motivado é fundamental para que tenhamos uma vida mais feliz. Antes, devemos separar o que é motivação de alegria.

Motivação é estado de espírito, é ter vontade de vencer, é uma força que nos impulsiona à seguir em frente. Já a alegria é um estado temporário que normalmente é envolvida por uma euforia.

Costumo fazer a seguinte análise:

MOTIVAÇÃO

Motivo + Ação = Faça acontecer!

Por tanto cabe destacar que para existir a motivação, precisamos ser impulsionados para superar. Abaixo alguns exemplos onde podemos aplicar a motivação:

- Na tristeza;
- Na derrota;
- Na desilusão;
- Numa perda;

- Para viver melhor;
- Para conquistar metas;
- Para ser feliz...

Viver motivado é fundamental, ouso dizer que é necessário!

E como faço para me motivar?

Eu conheço dois tipos de motivação, são elas:

MOTIVAÇÃO INTERNA
Acho esse exemplo prático: você está triste, desanimado e aí você coloca uma música que lhe dá aquela vontade de sair de fazer algo para ficar melhor. Nesse caso você mesmo se motivou para seguir em frente. Ou quando você percebe que está triste e logo começa a pensar em coisas boas.

MOTIVAÇÃO EXTERNA
Quando alguém percebe que você não está bem, e essa pessoa lhe põe para cima com palavras e gestos que lhe confortem. É uma motivação que vem de fora para dentro. Há muita motivação assim em palestras motivacionais.

Não importa como você será motivado, o que importa é que você não deixe que a tristeza domine você!

Abaixo uma breve ilustração do que devemos fazer para superar uma lamentação:



Observando a imagem acima você perceberá que coloquei o ato "CORAGEM PARA MUDAR". Eu fiz questão de mencionar esse ato porque apenas querer não basta para termos motivação, precisamos acima de tudo ter coragem para mudar!

Enquanto muitos lamentam em detrimento das dificuldades, de sentimentos negativos, de pensamentos ruins, nós devemos olhar para cima e agradecer por termos saúde, por termos a oportunidade de transformar as lamentações em superação!

Por fim, desejo que a sua vida seja repleta de conquistas, de motivação, de superação, mesmo tendo a ciência de que os obstáculos se farão presentes no percurso, deveremos sempre seguir em frente.

Motive A SUA VIDA também!

Um grande abraço,
Fernando Lapolli
Pensar bem faz bem!

GOSTOU?
Então comente abaixo...

Comentários:
Responderei os comentários em breve,
será um enorme prazer.
 +15   Quero comentar  



quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Motivando a vida


Seguindo em frente... 
Fernando Lapolli

Lembro-me como se fosse hoje, eu estava saindo às oito horas da noite da empresa na qual eu trabalhava. Com apenas dezenove anos de idade eu já era obstinado por trabalhar. Acredito que essa motivação pelo trabalho eu tenha herdado dos meus tios e principalmente por parte do meu pai, aliás, sempre tive um enorme exemplo por parte desse grande herói em minha vida.

Seguindo em direção ao ponto de ônibus, eu estava bastante cansado pois o dia de trabalho havia sido intenso demais. Quando me sentei no banco para aguardar a passagem do ônibus senti uma leve tontura, e também percebi que estava vendo as luzes com uma cor diferente, um tanto rosadas.

O ônibus demorou para chegar e enquanto aguardava, mais sentimentos estranhos me permeavam, como tristeza, falta de energia, sentimentos que naquela época eu ainda não tinha a capacidade de identificar.

Cheguei em casa tomei um banho e fui dormir.

No dia seguinte a mesma rotina, acordar cedo, ir para o trabalho e sair tarde da noite, e foi assim dia após dia. Como a maioria dos trabalhadores em busca de uma vida melhor.

Anos se passaram e eu sempre me recordava desse episódio acima.

Num determinado dia por volta dos meus vinte e cinco anos, fui ao médico pois aqueles sentimentos ruins ainda me "perseguiam" como tristeza intensa, falta de alegria, entre outros sintomas, na qual o diagnóstico foi: síndrome do pânico!

Comecei um tratamento médico, e ao longo do tratamento persisti para que as minhas atitudes começassem a mudar, busquei dar mais atenção ao meu tempo.

Foram longos e árduos anos, mas, por volta dos anos 2000 comecei a escrever, ou melhor, começaram a brotar dentro de mim uma enorme vontade de escrever mensagens positivas. Não sei como explicar, mas esses pensamentos brotavam naturalmente.

É pertinente observar que quando essas frases, mensagens e reflexões surgiam, eu as anotava para não esquecer. E isso foi de grande valia, pois ao ler as mensagens em outros momentos, elas acabavam melhorando o meu momento e ajudando-me a seguir em frente.

Hoje essas minhas mensagens estão na internet, e já foram compartilhadas com milhares de pessoas, e se você chegou até aqui é bem provável que você seja mais uma dessas pessoas que assim como eu procura ter uma vida ainda melhor.

Para seguir motivando a vida escrevi um livro e um ebook que leio com frequência no intuito de manter a minha vida melhor. Clique aqui e saiba mais.

Pensar bem faz bem!
Fernando Lapolli

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Motivação pessoal


Motivação para a vida
Mais motivação para uma vida melhor!



"O valor não está na forma em que você conquista, mas sim na habilidade de manter o que você conquistou." - Fernando Lapolli


"Posso ver novos horizontes, posso almejar ser feliz, posso querer curtir a vida, embora para se viver melhor é preciso saber ceder." - Fernando Lapolli


"Às vezes estamos tão atrelados ao momento seguinte, que deixamos de ouvir o canto dos pássaros que soam bem ao nosso lado." - Fernando Lapolli


"Valiosos sentimentos são despertados, quando de dentro para fora você exerce o amor." - Fernando Lapolli





"E não adianta dizer que vai dar certo se você só ficar parado esperando as coisas acontecerem. A vida continua, e o fluxo das coisas também." - Fernando Lapolli


"O agora é impressionante e é simplesmente o agora, nada além do agora. Simples, no entanto, a melhor oportunidade da sua vida." - Fernando Lapolli


Sendo coerente - Quando você sabe aonde quer chegar, os objetivos tornam­ se mais claros. Não tentar assumir um peso maior do que a sua capacidade de carregá­ lo. Ou seja, faça somente aquilo que você consegue e deseja fazer. Comece logo, não fique só na vontade. Na sequência, dê continuidade, persista naquilo que você acredita. E, por fim, termine! “Pense antes de assumir compromissos.” - Fernando Lapolli


Conquistando seu espaço - Hoje mesmo, vá em busca do que lhe faz bem, procurando fazer o que você sempre almejou. No trabalho, por exemplo, conquiste o seu espaço com sabedoria, comprometimento, gentileza, compreensão e dedicação. Em casa, exercite ainda mais a paciência, o afeto e a humildade. Mesmo que seja uma longa caminhada, avance pelo menos um passo a cada dia. “Dê o primeiro passo.” - Fernando Lapolli


Seguindo em frente - Persista, e continue persistindo sempre, pois viver vale muito a pena. Um carro, para subir uma ladeira, precisa de mais força, mais combustível, mais energia, mais potência, mais esforços. É bem provável que o seu dia a dia seja assim também. Os obstáculos em sua vida podem ter dois efeitos imediatos em relação a suas atitudes: a desistência ou a superação. O que você prefere? Opte por superar. Siga em frente e prospere. “Continue em sua caminhada.” - Fernando Lapolli



Pensar bem faz bem,
Fernando Lapolli